segunda-feira, 6 de julho de 2015

Desculpe, meu bem, mas eu não sou obrigada.

Ei, boy! Vem cá, pegue uma cadeira e vamos conversar! Acho que há um mal entendido entre nós. E bom, de mal já basta o mundo né? Ultimamente ele não anda muito generoso comigo. Isso! Ele, o mundo. Ele, você. 

Ouvi dizer que anda falando de mim por aí. Principalmente depois que me viu na balada sexta passada. Bom, meu caro. Só pra inicio de conversa, que eu lembre você não paga minhas contas pra falar tanta baboseira por aí. E, mesmo que pagasse, eu só queria te lembrar uma coisa: eu não sou obrigada. De verdade, não sou. A NADA,

Onde tá minha assinatura que eu estou disponível por está solteira? Onde tá minha assinatura que eu tenho que te dá satisfações quando eu saio, com quem eu saio, porque eu saio e como saio? Amor, entende uma coisa: eu sou livre! Eu não tenho que dá satisfações, te responder no whatsapp na hora do trabalho, atender suas ligações de pseudosaudades de madrugada, trocar meu jogo do flamengo (sagrado!) de domingo pra ir ao cinema com você, trocar meu tênis de corrida na praia pra fazer pose no instagram de algo que simplesmente não existe.
E daí se eu resolvi sair de salto alto, saia curta (e colada), top cropped tomara que caia, batom vermelho e uma cerveja na mão? E daí se eu quiser misturar com vodka, tequila e ice? Cara, eu posso sair de quarta a domingo também. Tu não tens que está preocupado com isso, SIMPLESMENTE PORQUE EU NÃO TENHO QUE TE DÁ SATISFAÇÃO. Acorda pra vida, meu caro! Você não é meu pai, meu namorado, meu nada. E mesmo que fosse: a partir do momento em que eu pago as minhas contas, você não tem nada a ver com o que eu faço.

Ah, espalhou pra geral que eu sou puta porque eu estava vestida desse jeito? Meu bem, vamos cá conversar olho no olho...  A partir do momento que você julga alguém pela forma que ela se veste, pela cor da sua pele, pela sua estrutura capilar, pela sua condição financeira você está fazendo isso super errado. Tem muito engravatado-filhinho-de-papai-que-nasceu-em-berço-de-ouro, matando e roupando pra comprar drogas. Tem muita loira do olho azul se prostituindo nos calçadões da vida. Tem muita negra de cabelo pixaim que é doutora e pode salvar tua vida qualquer dia desses na fila do SUS. Tem muita delegada que gosta de funk e nas suas folgas sobe o morro de saia curta, salto alto e batom vermelho.

E, infelizmente, tem muito babaca machista, como você por aí, que acha que mulher tem que ser dona de casa, ter três filhos e ser submissa a homem. E outra coisa, que fique bem claro, meu bem: eu não sou obrigada a NADA, mais uma vez: NADA.

Engole teu machismo e acorda pra vida. O mundo não se resume ao seu mundo.

Obrigada, de nada.

Texto fictício, porém que representa o machismo do homem antiquado em relação a mulher moderna. Nós somos livre, girls! Não deixe que homem nenhum lhe menospreze pela sua roupa, seu cabelo, sua condição financeira. Você é livre e, não é obrigada a NADA.

16 comentários :

  1. Deni adorei o post, sinceramente é tudo isso.
    Adoro seu blog pela a diversidades que encontro aqui.

    Ps.: Traga mais texto! kkkkk
    Beijos
    http://blogmundodakah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii kalyne, obrigadaa!! Vou vim sim Hehe ♥

      Beeijo

      Excluir
  2. Arrasouuu no desabafo Deni rsrsrs. Não sou obrigada kkk
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem foi um desabafo, na verdade é a realidade, né? Rs
      Bjo

      Excluir
  3. Muito sincero hahahaha.
    Machismo não desce redondo!
    Beijos!

    http://amorporvidrinhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Quando vi o título pensei que você não era obrigada a postar aqui ehuheueh' Mas enfim, adorei sua postagem, foi um belo desabafo e também é legal você falar dessas coisas!

    Leadership ~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahhaha, tenho prazer em postar aqui. Nem foi um desabafo,... só falei o que acontece e não deveria acontecer, né? =)

      bjo

      Excluir
  5. Mana, tu és boca de destruição e sucesso! Nunca vi tanta verdade em um post só. Hahaha. Adorei m-e-s-m-o! Beijo grande. <3

    www.distorcidomundo.com

    ResponderExcluir
  6. Só eu que senti um leve tom de várias coisas nas falas de comparação? Tem loira que é prostituta, tem delegada que curte funk. Achei que foi sempre uma combinação de algo teoricamente bom com algo teoricamente ruim. A ideia era essa? hahaha Eu desconstruo total que ouvir funk seja algo ruim, inclusive tenho amigos que são lol :P

    Enfim.. Passa lá no Centri que agora a frequência dos posts tá ótima. Post novo toda segunda, quarta e sexta sobre assuntos variados. Se tiver alguma sugestão, também to aceitando, viu? hahaha Beijos e apareça! :*

    http://centrifugir.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não amoreee! Adoro funk também. Mas, se tu parar pra pensar como é que julgam as mulheres q se vestem da forma que eu deswcrevi no texto: dizem logo q elas são putas. Qd veem uma negra de cabelo pixaim: dizem logo que é favelada. Quando veem alguem subindo o morro pra ir pro baile funk: é logo uma perdida. Entendeu? =)

      Beijo grande

      Excluir
  7. Uma boa partilha :)
    http://retromaggie.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  8. Texto perfeito! Super me representa! <3
    Um beijo

    Dicas para Todas

    ResponderExcluir
  9. Adoorei o texto, só disse verdades! Parabenss
    Adorei seu blog, to até seguindo haha poderia retribuir? bjss
    Meu Blog

    ResponderExcluir
  10. hahah' Adorei. Concordo com você :)

    Amanda Souza
    www.comoutrosolhos.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Volte sempre!
Bjs
@denilzefranca